23 de janeiro de 2017

Lucas 16.1-13

Queridos amigos, tenho me dedicado a leitura dos evangelhos, mais especificamente o evangelho de Lucas, por causa de sua escrita, dito pelos comentaristas, o melhor grego do novo testamento, mas por ser uma pessoa muito esforçada na leitura de documentos e na busca pela verdade, isso é fascinante! Vemos Lucas reunindo documentos, relatos, visitando lugares, para chegar mais próximo de tudo que pode ouvir, de fato um erudito! Estima-se que os relatos dos evangelhos concentrem-se somente 20 dias do ministério de Jesus, incrível!

No capítulo anterior Jessus repreende os fariseus com três parábolas de cair o queixo. No capítulo citado, Jesus nos dá uma aula de economia, matemática, sociologia, psicologia, administração, tomada de decisão, além ,de usar um exemplo ruim, para ilustrar o que é bom! Jesus é fantástico! Sem mais delongas, vamos voltar nossos olhos para o registro de Lucas, no capítulo 16.1-13, onde nosso Senhor nos dá uma aula muito importante em conversa com seus discípulos acerca do trabalho, dos negócios, das amizades, dos relacionamentos, como lidamos com dinheiro e até mesmo daqueles que nos lideram. 

Pois bem, o capítulo começa com as palavras, de um homem rico que tinha um administrador: "Estou sendo roubado (na minha bíblia está assim...rsrs), faz o seguinte, o homem rico disse ao adminitsrador: "me presta conta de tudo que tenho, e quem me deve e pode ir embora, está demitido!". O cara ficou atônito, porque não sabia fazer outra coisa a não ser se dar bem a custas do tal homem rico, porque digo isto, se dar bem? (Segundo, Josefo, historiador do século 4, na época era de costume que o administrador cobrasse um juros para si nas promissórias, sem que seu senhor saiba), o administrador não tinha aptidão para nada, não tinha força para campo e tinha vergonha de pedir (ainda era orgulhoso). 

No verso 4, o "sei que vou fazer", ou melhor, "eu sei" traduz o aoristo com significado semelhante de: "Tive uma idéia", lascou! (Em uma leitura fria, diria que o administrador era brasileiro), ele toma uma decisão de tirar ainda mais proveito, porque não era de trabalho e era orgulhoso. Qual foi então sua ideia:  "vou fazer o bem a essa gente que deve (na minha bíblia está assim), e em retribuição à sua benevolência, seria recebido nas casas dos devedores, para usufruir de benefícios!

Então, no verso 5, ele manda chamar o primeiro: Tá devendo quanto? (lembrei do comercial, quer pagar quanto?), ele disse: Cem batos de azeite (Aproximadamente 875 litros, ou melhor o fruto de 146 oliveiras), o administrador retira 50% da dívida, que homem bom! E perguntou ao próximo (verso 7): E vc, deve quanto? Cem coros de trigo, o administrador disse a ele coloca aí oitenta (menos 20%). Que homem bom!

No verso 8, parece parodoxal, o senhor (seu chefe) elogia seu administrador que estava de aviso prévio por sua astúcia, ou melhor, por sua capacidade de resolver as dívidas tão rápidas, embora diminuindo o valor das mesmas. O chefe queria na verdade, esfolar vivo, mas para não ficar mal na fita, purificou a atitude do seu emprego com aviso prévio. Se você achou que o administrador agiu certo em retirar sua porcentagem de lucro e prestar contas, colocando seu senhor bem na fita, o verso 8 lhe dará um alerta, "os filhos deste mundo são mais astutos para com sua geração, do que os filhos da luz", ou seja, o conceito que reina no seu coração é mundano, porque os filhos da luz querem justiça, e justiça é feita com igualdade e sem concessões.

No verso 9, Jesus dá outro alerta, sobre como devemos pautar nossas amizades, ou mesmo, a base de para amizades cristãs sem esperar beneficios da amizade. Jesus repreende a forma de obter vantagens sobre os outros (colecionando figurinhas de um álbum, quando essa serve, lanço mão) ,pois quando faltar emprego, eles vos recebam. O que está em questão é o  dinheiro. Este deve servir para fins eternos, ou seja, das esmolas, ajudar o próximo, investir no reino, na evangelização, aí sim seremos recebidos em lugares eternos porque investimos em alvos eternos: pessoas.

O verso 10, nosso Senhor deixa claro que o homem é um de fio e pavio, é uma unidade. Se for infiel no pouco, sua vida está fadada ao erro. É triste, mas pura verdade! Dando seguimento aos versos 11, 12 e 13. Jesus é bem claro, se vocês não cuidam bem das suas coisas como cuidará dos outros.

Implicações Práticas

1 - Seja honesto em qualquer situação, pois isso proverá que provém de Deus. O administrador resolveu ser honesto somente se viu ameaçado ão, vv.1;
2 - Seja multidisciplinar, ou seja, apreenda a fazer várias atividades, ainda mais no mercado competitivo em que nos encontramos, para que você possa ser um profissional valorizado por sua competência e não por ser amigos de fulano, vv.2;
3 - Embora, retirar lição do exemplo ruim do administrador, vv.4, ele tem uma idéia. Na vida temos que tomar decisões que aparentemente não nos beneficie, ou até mesmo que sigfnique uma perda;
4 - A dívida que está explicita no verso 5-7, me remete a dívida paga por Jesus, que de uma vez por todas pagou nossa dívida com o Pai, não foi de 50% ou 20%, mas de 100%;
5 - Deus te faz um convite a ter uma vida reta sem ter com que se envergonhar, para que não precise usar os métodos relacionais do mundo para que conquiste algo, vv.8;
6 - Somos mordomos e dispenseiros, Jesus nos convida a construirmos tesouros para a eternidade. Ajudando o próximo, ainda mais os de fé. vv8-9;
7 - A base dos nossos relacionamentos é a vida de Jesus, e não que o próximo pode me oferecer. Por que a vida de Jesus? Porque o próximo é um igual e não um diferente, pois diferente se torna inimigo, vv.9;
8 - Nossa vida deve demonstrar de quem somos, o escravo é chamado a agradar seu senhor, o senhor dele é evidenciado pela maneira como ele serve, vv10;
9 - O Homem totalmente corrompido precisa de uma salvação que o faça mudar de direção, pois sua infidelidade é evidencia na hora em que abre sua boca, vv10. 

Soli Deo Gloria
Jesse Almeida.