IdeFácil

31 de outubro de 2016

Gn. 6.13 - A decisão Soberana Justa

Olá queridos irmãos é sempre um prazer escrever! O texto escolhido tem haver com o dia de hoje: 31 de outubro, dia da reforma protestante. Lutero leu as escrituras, mais especificamente Rm. 1.17, em momento histórico crítico na político, no ambiente social e de instabilidade mental, porque não! Já os habitantes de sua cidade,  sob domínio da igreja romana teriam que pagar para serem perdoados (indulgências) e voltarem a ter suas incoerências revistas por Deus, a partir de esforço humano, isso não gerava arrependimento, mas senso de perfeição, como ninguém, repito ninguém pode satisfazer perfeitamente com suas habilidades, qualidades e vida moral a Deus, o clima de insatisfação era geral.

Contudo, quando olho, para o texto de romanos capítulo. 1 verso 17, "porque nele (o evangelho) nós descobrimos a justiça de Deus", justiça essa que poderia realizar esse juízo justo que consta no gênesis capítulo. 6 verso 13, ele poderia acabar conosco de uma vez só, e isso seria justo! Paulo nos diz isso no capítulo 9 aos romanos 9.15. Mas, Ele (Deus) resolve em si mesmo revelar sua bondade, amor, misericórdia, justiça salvando a família de Noé, pois Noé andava com Deus! Noé é sétima geração de Adão, linhagem de Enos, dos que buscavam a Deus, porque a partir de Enos os homens começaram a buscar a Deus. 

Vemos, portanto que a ira de Deus é contra o pecado, que precisa ser punido no pecador.. E quem recebe esta ira é seu filho (1 Ts. 1.10) quando na verdade seria em nós. Essa doutrina nos dá um senso de responsabilidade e privilégio! Essa preciosa doutrina chamada justificação pela fé nos fará depositar nossa vida inteira na pessoa de Jesus, e deixar de confiar em nós mesmos. E mudar de um vez por todas as nossas relações: seja  com Deus, com o próximo, com a igreja, com nosso trabalho, com as artes, com a família, política, com o governo. Vivamos só para ele, por ele e nele! 

Sola Fide
Sola Scriptura
Solus Christus
Sola Gratia
Soli Deo Gloria,
Jessé Almeida.