IdeFácil

20 de janeiro de 2015

Até que a morte nos separe? ou até que as contas nos separe?

Hoje a inspiração é casamento, sim, instituição magnífica criada por Deus. 

Acontece que muitos hoje casam-se para melhorar de vida, mas o sentido do casamento, não melhorar de vida, mas sim, que haja um melhora como pessoa, só os casais tem coach permanente. Deus é o causador/inventor/idealizador do casamento para que sejamos pessoas que crescem, ou melhor, que nosso conjugê experiemente o melhor de nós.

Paulo nos dá um exemplo muito bom sobre casamento: Cristo e a Igreja! Se você reparar bem, o tipo de noivo que a noiva espera é o cara que faça tudo, assim como Cristo supri a igreja. Mas nossa mente ocidental e capitalista vai normalmente, automaticamente a vida financeira. Ok! Vida financeira afeta o casamento, sim, quando os dois e/ou um  é afetado por algum acidente ou não tem renda e/ou trabalho.  Mas repare bem os benefícios que Cristo (o noivo) dá a igreja: Segurança, Estabilidade, Carinho, Atenção, Pastoreio, Entrega, calma, amparo, alegria, satisfação, enfim, dá seu melhor dentro de todas as suas possibilidades, sobretudo, a noiva (igreja) nunca será perfeita e até mesmo satisfeita, mas o noivo (Cristo) está disposto a trabalhar para aperfeiçoá-la. Nossos casamentos não serão perfeitos, a não ser que estejamos dispostos a aperfeiçoá-lo. Afinal de contas, são dois pecadores dizendo sim todo dia!

Cristo não prometeu vida financeira a igreja, prometeu sua presença, porque sua presença é o que dá vida ao trabalho da igreja (noiva). Cristo prometeu fidelidade, não prometeu ter celular carregado para saber onde está a noiva. Cristo prometeu equilibrio, não prometeu desespero. Cristo prometeu se entregar mesmo que não tenho resposta, porque Cristo não precisa ter expectativas supridas, porque quem se entrega já o faz por completo e a resposta de quem se relaciona com alguém que se entrega é: amá-lo, respeitá-lo, admirá-lo, honrá-lo, satisfazê-lo, ser o primeiro a saber todas as coisas que acontece comigo!

Enfim, homens precisamos ser homens capazes de se entregar por completo  as nossas esposas, nunca será um desprazer contar suas derrotas interiores para esposa, sabe porque? Ela deve ser a primeira pessoa a saber e ajudá-lo a sair dessa. Devemos entender que a mulher tem um radar de integridade, ela sabe quando você está inteiro e sincero!

Mulheres modernas que lutam por direitos iguais, mas no fundo querem jantar fora e não pagar a conta. Comece a perceber no seu marido se há alguma virtude na sua conduta, se de fato Cristo se manisfesta na vida de seu marido. Porque dinheiro, bens, ficam na terra, mas os valores vividos dentro do casamento esses sim, serão lembrados. Lembre-se que fizeram um juramente um para outro: É até que a morte separe, e não até que o meu salário nos separe!

Cristo está preparando a noiva para um encontro e não para uma festa. O marido por sua vez se entrega por completo para preparar sua esposa para um encontro, e não paga para ver mais jovem, com roupas caras! Cristo trabalha ao ponto de olharem para igreja e o vejam! Nós maridos trabalhamos para que quando vejam nossas esposas nos vejam nelas! E vice-versa. Não é conta bancária que faz isso mais é o amor, fidelidade, cumplicidade, afeto, confiança, coragem, firmeza, compaixão. É o compromisso de que pode faltar tudo, menos respeito.

Cristo e a igreja são inseparáveis! Não há igreja sem Cristo e Cristo sem igreja, fico pasmo, ao saber que pessoas se casam e querem continuar saindo com seus amigos como se fossem solteiros. É importante ter amigos! Mas como não levar a pessoa mais importante da sua vida para ser amigos de seus amigos. Quanto aos recursos, tudo que de Cristo é da igreja e vice-versa. O casamento não é um ganha-ganha, na verdade é um perde-perde, mais o melhor perde-perde do mundo, porque você perde para satisfazer o outro. Cristo deu a vida e você pode suprir o outro, em momento difícil?

Que a morte nos separe, não nos separe morte do egoísmo!

Jesse Almeida.