19 de fevereiro de 2011

Concessões atrapalham as relações

Amados irmãos estive nessa semana lendo a entrevista da ministra Eliana Calmon (27/09/10), mas conhecida por chamar as coisas pelo que são. Leia a entrevista Na íntegra

Após ler a entrevista fiquei um pouco abalado e digo porque: a fraqueza do judiciário é reflexo de uma sociedade em deslize, ou melhor, se a corte se encontra nessas condições quem dirá as instituições mais sérias, como por exemplo, A igreja "chamada de Cristo", por favor não estou colocando em cheque a igreja, releia e veja como está escrito a "Chamada¹ igreja de Cristo", aqueles que professam ser de Cristo. Deveriam levar em seus comportamentos um pouco de ética, para ser eficientes e quem sabe eficazes. Sei, usei palavras que aguçam os sentidos daqueles ansiosos por crescimento quantitativo da igreja, então para atender os atuais integrais, devemos ser relevantes.

Imagine se Jesus tivesse atendido aquela mãe que pede para seus filhos se assentarem um a direita e outra a esquerda, que dureza! Estaríamos sendo assessorados por dois mercenários, pois sua mãe queria status para seus filhos, enquanto Cristo queria somente honrar o Pai. (Bebeu do cálice proposto)  

Imagine aquela cena no sábado o homem com mão ressequida, em lugar do que deveria fazer, curar o homem, ele se esquivasse dessa responsabilidade (ser politicamente correto - não curar no sábado), pois o filho do homem não veio para os sãos, mas sim para os doentes.

Imagine se na tentação Jesus ele transformasse pedras em pães só para demonstrar seu poder, deixaria bem claro quem manda, mas combateu com que havia de mais precioso, a palavra de Deus;  suprema e infalível.

Imagine então o tipo de personalidade ou personalismo que Jesus seria se ele ordenasse os anjos para o apanharem quando se jogasse. Seria  lembrado como herói, mas seria momentâneo e logo esquecido, ele preferiu a cruz, a humilhação, a coroa de espinhos, os cravos, a lança ao seu lado; para que fique gravado na memória de todos que não foi somente mudar o rumo da história, mas foi para colocar todas as coisas no seu devido lugar.

Irmãos ao invés de fazer o "dever de casa", fazemos o ilegal em nome da amizade, do companheirismo, por vínculo familiar, para manter aparências, enfim...

Não podemos ser complecentes, Habacuque já dizia: "Por que razão me mostras a iniqüidade, e me fazes ver a opressão? Pois que a destruição e a violência estão diante de mim, havendo também quem suscite a contenda e o litígio. Por esta causa a lei se afrouxa, e a justiça nunca se manifesta; porque o ímpio cerca o justo, e a justiça se manifesta distorcida".

Soli Deo Gloria
Jessé Almeida.

_________________________________________________________________________
1 - Não é a chamada para ser tornar igreja, mas aqueles que se dizem ser, mas na realidade não são.
Posted on by Jesse Almeida in