IdeFácil

15 de abril de 2010

Protestantismo e ética pública


Protesto no  Bumba: moradores e voluntários como eu ( Rio de Paz) se unem para protestar contra o descaso histórico


A igreja protestante, na sua historicidade, é marcada por lutas por justiça social, igualdade de direitos, favorecimento aos menos afortunados. Calvino, que foi prefeito em Genebra, lançou as bases para o envolvimento entre a igreja protestante com o envolvimento de politicas públicas de qualidade. Lutero também lutou. E muito.

Porém, há muito as nossas igrejas e congregações e até ONgs que se dizem cristãs não vêm cumprindo o seu papel de cidadão dos céus e voz de Deus na Terra, se deixando levar pelo ufanismo religioso que invadiu nossos templos. Muito se fala em fazer prosperar, mas pouco se vê em poder, nas palavras e principalmente atitudes,  quando se tem quando uma tragédia como esta, acontecidas no estado do Rio, onde as vozes  dos apóstolos e triunfalistas se calam. 

É nesta hora que o verdadeiro povo de Deus, aquele que se chama por povo Dele mesmo arregaçar suas mangas de seda, desempoeiradas e realmente fazer jus ao nome que carrega muitas vezes em camisetas, faixas, botons, cds, livros... é hora de se mostrar o que se tem no coração, se é amor ou pura proteção de si mesmo e sua bagagem religiosa.
É revoltante ouvir de alguns desse crentes apostólicos triunfalistas, da turma do René Terra nova e Cia, frases do tipo: a irmã da MINHA IGREJA, se salvou, todos os barracos cairam em volta da sua casa, menos o dela. Oh, Gloria! Mil cairão ao seu lado, 10 mil à sua direita....mas tu não serás antigido... 

É lamentável que nessa hora tão difícil o que se vê é apatia de alguns, a ajuda virtual de outros ( estarei orando, mas mora ao lado das maiores tragédias), ou o triunfalismo idiota de outros....

Mas há sem uma luz no fim do mais negro túnel e isso eu pude ver ontem, no Morro do Bumba, quando moradores da comunidade e voluntários do Rio de Paz, como eu, pudemos unir as nossas vozes e coração em um ato público de indignação e amor. O Rio de paz, na pessoa do Pr. Antonio Carlos ainda são uma desses que não se renderam ao sistema nem ao evangelho mesquinho que chama Deus de Papai somente no conforto de seus sofás ou de seus congresso de prosperidade material e avivamentos.

Poder e avivamento é isso: chorar com os que choram, apoiar os órfãos e as viúvas, não oprimir o pobre, mas dá suporte para ele ser cidadão na terra. Assim eles reconhecerão que realmente são criaturas de Deus e nós filhos Dele.

Com amor e indignação eu escrevo.