23 de março de 2010

A maravilha da Pessoa de Cristo

Boa noite, queridos amigos. Espero que a riqueza desse texto, que me encanta, encante você também. 

Estamos falando da Epístola de Paulo aos Colossenses cap.2.8-15, que tem o como objetivo refutar os falsos mestres. A cidade era uma grande potência têxtil, no período helênico foi uma potência mercantil. 

Paulo inicia a carta com sua tradicional saudação, logo depois ele se alegra pelo mistério do evangelho revelado ao homem, e que, através de homens, ele se multiplicava. Aqui, no caso, era através de Epafras, fundador da igreja. 

Em seguida, o "verdadeiro apóstolo" ora para que o Eterno transborde de pleno (total) conhecimento de sua vontade, para que andem de modo digno do chamamento do Senhor.

E então, discorre sobre a excelência de sua pessoa: "Ele nos libertou do império, nos transportou para uma reino". Em um império temos um tirano reinando sem oportunidade nenhuma para representatividade, mas o texto diz que Ele nos transportou para seu reino e no reino os membros da corte podem representar seu Rei. Pois bem, o que somos de Cristo? Vale a pena relembrar - embaixadores - o mais alto cargo diplomático.

No cap. 2 é onde quero concentrar esse texto, mas é impossível ficar sem falar das riquezas do primeiro capítulo. 

No verso 8 Paulo adverte os colossenses quanto ao dar ouvidos às filosofias e vãs sutilezas. Aqui é refutada a doutrina dos Essênios ( acreditavam no destino como também em toda filosofia grega, criam em emanações). Eles acreditavam que Deus viria em forma humana não diretamente, mas em emanações de Deus O Pai, para se tornar homem, deveria ter diminuído sua natureza até se tornar homem, por isso  acreditavam nos anjos como figura divina. 

Para o apóstolo eram conhecidos como  rudimentos (Stoicheia = elementos), tradição dos homens, que não era segundo Cristo, (verso 9) porque Nele habita corporalmente toda plenitude da divindade, ou seja, não há nada em Cristo-Homem que não seja divino, ele é completo, não precisa de ninguém para o suprir;

Verso 10 - Assim como Cristo não precisa de um que o alimente ou seja o seu supridor, quem está nele não precisa de nada que o complete. Ele é Deus!; 

verso 11 - O apóstolo compara a circuncisão (do menino ao oitavo dia) e aprofunda o conceito, parafraseando: "No momento que a lança do soldado feriu o lado do Mestre, ali foi nossa circuncisão" fomos integralizados no momento do "teutelestai" (está totalmente pago);

Verso 12 - Fomos ainda batizados, sendo de natureza normal para o crente, pois o batismo é o ato que se dá de maneira natural para aqueles que foram integralizados na circuncisão do seu corpo, e não só batizados, mas para glória de Deus RESSUSCITADOS MEDIANTE A FÉ;

Verso 13 - Lembrem-se de onde vieram pois estavam mortos (em delitos e pecados) e até mesmo sem circuncisão (verdadeira do prepúcio);

Verso 14 - Mas na cruz o Senhor Jesus cancelou (tornou sem efeito) nossas dívidas, que eram contra nós. Onde ele tornou sem efeito nossos pecados? Na Cruz.

Verso 15 - Na mesma cruz que ele torna sem efeito nossos pecados que eram contra nós, Ele também expõe à vergonha (Paulo usa uma expressão militar - era um costume de guerra romano chamado cerimônia de despojamento, onde os vencidos era despidos na frente do vencedor, os expondo assim a vergonha), mas TRIUNFANDO DELES NA CRUZ!

Vamos adorar a Pessoa de Cristo e não os objetos da criação.

Jessé Almeida
Soli Deo Gloria