20 de agosto de 2009

HOMENS DE DEUS PRECISAM DE PARCEIROS


Vamos continuar com nossos estudos. A carta de Paulo aos Tessalonicenses capítulo 3.1-5. Sobre a feição de Paulo em querer vê-los, mas por circunstâncias "diabólicas" (2.17-20) [Paulo encara como diabólica, porque tem haver como impedimento a pregação do verdadeiro evangelho].

Verso 1 - Por causa da afeição e preocupação que os missionários sentiam, chegaram ao ponto de não agüentarem mais a situação (fazendo menção do cap. 2)

A expressão “Pelo que” => Nos remete aos versos finais do cap. 2, o sentimento de frustração, maior, por não poder revisitar a igreja;

O verbo “suportar” => Traduzido quer dizer cobrir, repelir ou proteger. Daí desenvolveu-se o sentido de suportar ou agüentar alguma coisa. É aturá-la ou tolerá-la;

O uso do “nós” => Paulo queria dizer que: “nós resolvemos que eu fosse deixado em Atenas sozinho e que Timóteo fosse enviado a vós”; por causa da afeição pelos tessalonicenses, Paulo prefere ficar sozinho;


Verso 2 - Como líder dos missionários, Paulo tem autoridade.

Perceberemos isso ao vermos o significado do verbo “enviado” => Como seu representante o apóstolo não podia vir (2.18); a outra escolha era enviar alguém que tomaria uma mesma atitude dele;

“...Irmãos...” => Palavra usada para freqüentemente aos colegas de obra missionária e também deixa claro o estreito relacionamento;

“...ministro de Deus...” => Para Paulo ministro também é mestre (ensina) são fatores externos (Ef. 4.11);

“...cooperador...”=> Da mesma obra para qual Deus também o chamou, Paulo sabendo desse fato o envia para Tessalônica;

“...evangelho de Cristo...” => É esfera da obra de Timóteo, a frase indicada pelo contexto, é mais do que simplesmente pregar o evangelho; inclui também a tarefa de sustentar a fé em Deus através de Jesus. A tarefa passa a ser ‘confirmar’ e ‘exortar’ - O primeiro verbo significa “fortalecer” é uma característica pastoral (Rm. 1.11; Tg. 5.8; 1 Pe. 5.10; 1 Ts. 3.13); O segundo verbo “encorajar” através do ensino cristão;


Verso 3 - “...afim de que ninguém se inquiete...” => Esta construção está se referindo aos cristãos que eram “bajulados” pelos judeus, afim de deixarem a fé; Paulo acrescenta, o fato de sermos cristãos já nos coloca em perseguição e tribulações. Se uma pessoa sabe o que vai enfrentar, ela prontamente se fortalecerá para enfrentá-lo, pois quem a pegará de surpresa? O ensino comum do evangelho no NT envolve perseguição e sofrimento (Mt. 5.11-12, 44; 10.17-23)a garantia de sofrer com Cristo era uma preliminar essencial para compartilhar do seu reino celestial (Rm. 8.17), ainda mais, era garantia que realmente a pessoa era “crente”

Verso 4 - “...ainda estava convosco...” => Este ensinamentos era tão essencial para Paulo, que ele retorna a idéia. O tempo do verbo indica que Paulo já havia repetido várias vezes, não seria surpresa;

“...afligidos...” => ou melhor, vamos sofrer perseguição, seria profeticamente do fato que aconteceria e que vazia parte do plano de Deus para Seu povo. Paulo relembrar as palavras e deixa claro que era esperado;


Verso 5 - Nos versículos anteriores Paulo descreve os eventos que levaram a visita de Timóteo à Tessalônica.

Agora o apóstolo vai direto ao assunto, e relata que não poderia mais esperar e ficar sem notícias dos irmãos da igreja amada. Porque estava só em Atenas enquanto Timóteo e Silas estavam em viagem.

“...já não sendo possível...” => Essa expressão é repetida no verso primeiro, pois diz respeito a separação dos tessalonicenses e também a falta de notícias acerca da vida espiritual dos amados;

Agora há um novo propósito na visita de Timóteo, “...saber da fé...” => saber a realidade da existência cristã. Para Paulo a “fé” era a atividade e característica cristão fundamental, da qual crescia todo o restante na vida; Queria saber se sua fé era real a ativa. Sabia que havia a possibilidade de apostasia. Ficou “temendo” que os provasse era que o seu trabalho fosse desfeito mediante o “teste” ou “prova” do tentador (Satanás) = seduzindo a fazer aquilo que pecaminoso, também pode ser visto como propósito de Deus em que permite que as pessoas sejam testadas afim de comprovar a fé e obediência a Cristo;

Logicamente o efeito da tentação seria que os irmãos abandonassem a fé de modo que a obra se tornasse inútil (Gl. 2.2) que não teriam “coroa”. O verbo provar significa meramente uma tentativa, não quer diz bem sucedida. O pastor deve ter uma sensibilidade para com seu rebanho para que nãos e desvie da fé, mas que confie no poder gracioso de Deus para conservá-lo fiel a Ele mesmo.


Na próxima semana continuaremos nos versos 6 -10

Soli Deo Gloria

Posted on by Jesse Almeida in