30 de julho de 2009

Liderança da igreja - 1 Tessalonicenses 2. 1-7

A ênfase agora no cap. 2 muda para o modo de os apóstolos se comportarem durante a estada em tessalônica. Foi caracterizada pela ousadia em meio a perseguição que o evangelho foi anunciado. Não houve intenção de enganar os ouvintes, mas o ap., foi fiel àquilo que deus lhe confiara. Então procuravam agradar a deus, e não reivindicar qualquer ganho material, ou prestígio. E que estavam dispostos a trabalhar para o seu próprio sustento, enquanto pregavam o evangelho, ao invés de sobrecarregar pessoas com os custos e hospitalidade. Tanto que os tessalonicenses e deus poderiam ser citados como testemunha do comportamento indesculpável dos missionários e exortarem os ouvintes a viverem uma vida diga de deus.


Verso 1 - “...Porque...” => Paulo não tenta explicar o porque da visita, mas o caráter da mesma, ou seja, a natureza de sua pregação;


“...vós sabeis...” => Paulo retorna a idéia do cap. 1.9, dizendo “que eles mesmos” mencionam que a visita não foi em vão ou infrutífera. A expressão infrutífera por ser entendido como “faltosa de conteúdo” ou “faltosa de efeito”;


Verso 2 - esclarece que visita dos apóstolos não poderia ser um assunto “sem valor” visto as circunstâncias que ocorreu (at. 16.19-40), mensagem mexer com assuntos financeiros locais;


“...ultrajados...” => Refere-se ao tratamento ofensivo e vergonhoso. Paulo está tentando dizer que tal tratamento poderia dissuadir os missionários e assim prejudicar a mensagem;


“...ousadia...” => Pelo contrário, os estimulava, a palavra empregada no NT é usada para descrever a “liberdade que o cristão tem em se achegar a Deus (Hb. 4.16), não é uma confiança comum, mas em deus unicamente;


Verso 3 - “...pois...” => Está mostrando mais uma vez de que a mensagem não continha falta de conteúdo e era baseada na confiança em Deus. E que sua pregação não surgiu de motivos e falsos, não era portanto um fingimento que oferece um evangelho vazio, pelo contrário, proclamava a mensagem abertamente como havia recebido;


“...exortação...” => Aqui a palavra exortar também pode ser traduzida como consolar. A mensagem passa ser exortativa para aqueles que não conhecem a Deus e consoladora para aqueles que já conhecem a Deus;


Ainda no v.3, o apóstolo julga 3 substantivos importantes: Engano, impureza e dolo.


Engano => a ignorância ou erro do apóstolo a respeito da verdade acerca de Deus;


Impureza=> se refere à impureza moral (cap.4 v.7) é contratada com a santidade. A PALAVRA GREGA USADA NO NOVO TESTAMENTO EQUIVALENTE À HEBRAICA PARA SANTIDADE SIGNIFICA UM ESTADO INTERIOR DE LIBERDADE DE FALHA MORAL E RELATIVA HARMONIA COM A PERFEIÇÃO MORAL DE DEUS. ”;


Dolo => Paulo não negociava a mensagem a fim de ganhar adeptos, como faziam os pregadores helenistas, que não tinham escrúpulos para ganhar adeptos;


Verso 4 -Era improvável o proceder do Ap. visto que se dizia uma pessoa aprovado por Deus.


A expressão “prova nossos corações” => verbo aqui tem sentido de examinar e testar. Quer dizer que deus nãos e ocupa com o testemunho nosso (aparência), mas as os motivos interiores que ditam nossa conduta. O verbo está no particípio presente, da idéia de continuidade;


“...agradar a homens...” => O apóstolo está pensando em todo tipo de lisonja (2.5) e a artifícios semelhantes que agradam superficialmente as pessoas mas que realmente são ditados pelo interesse. Se foi a chamado a ser servo, logo seu prazer estava em agradar a Deus;


Verso 5 - Agora é citado o comportamento mais especificamente quando eles estavam no meio dos cidadãos. Ainda em relação ao verso anterior.


“...linguagem e bajulação...” => ou seja, o apóstolo não usou de palavras para influenciar pessoas, nem lhes deu elogios, afim de que acreditassem nele. E os cidadãos perceberam pela observação, tanto é que Paulo aponta “DEUS COMO TESTEMUNHA”;


“... Nem de intuitos gananciosos...” => A palavra ganância indica a cobiça de todos os tipos. O desejo de despojar as pessoas daquilo que lhes pertence. Aqui o importante é que os apóstolos não usaram a ação aparentemente boa de pregar o evangelho como meio de encobrir sua intenção verdadeira, que seria obter algum ganho material das pessoas que responderam a mensagem;


Verso 6 - Paulo rejeita a hipótese que foi levantada pelos cidadãos, tanto que responde, tendo uma linha de raciocínio:


“...buscando gloria de homens...” => Não só era questão material, mas de prestígio e honra. Ele procurava recompensa divina que é um motivo digno;


Verso 7 - Embora sendo “enviados de cristo”, tendo ‘legitimidade’, não exigiram manutenção (ou sustento), Melhor dizendo, tendo ‘legalidade’, ele não fazia uso da oferta da igreja porque preferia ser sustentado pelo seu próprio trabalho.


“...acaricia...” => Esse verbo tem uma idéia de “pegar nos braços”. O intuito é conservá-los em segurança. Seu alvo é o bem da igreja e não se completar. Seu alvo maior é o bem da igreja, a preocupação com a sã doutrina;


Verso 8 - “...Querendo-vos...” => Paulo utiliza uma palavra rara, que denota “ansiar por” ou “desejar”. Ressalta a profunda afeição dos missionários para com os convertidos, tendo em mente, que para Paulo o evangelho era algo de maior valor, mas especificamente contrasta com a vida, pois para eles era a possessão mais preciosa que tinham;


“...própria vida...”=> ‘Oferecer’; ‘compartilhar’; A linguagem é amor que ama e compartilha a vida com a pessoa amada, Deus estava manifestando seu amor através dos missionários que lá estiveram;


Verso 9 - “...Porque...” => Mais uma vez Paulo retorna a preposição anterior, como uma prova acerca da sua atitude humilde e amorosa. Que não foi levar vantagem ou alguma interpretação de que está procurando recompensa por pregar;


“...do labor e fadiga...” => Essas palavras expressam a maneira pesada e cansativa da tarefa. E trabalhavam dia e noite (também tinha seu trabalho At. 18.3- todo rabino deveria ter um ofício, para sustentar-se, e não receberem pagamentos pelos seus ensinos).

tanto trabalhavam quanto pregavam o evangelho. Suas necessidades foram supridas até certo ponto pela Igreja em Filipos (4.16). Mas Paulo não queria ser exemplo de inatividade;


Verso 10 - Mais uma vez Paulo ressalta a maneira virtuosa e inculpável dos pregadores, tanto que adverte os leitores a viverem de maneira digna de Deus.

Tem dupla interpretação:


1- Pregação está em conformidade com a vida dos pregadores;

2- Não precisavam ver suas vidas, visto que, falavam.


A atenção passa a ser não só dos leitores, mas também de Deus como testemunha, das verdades com base nas observações deles. Havia pessoas na região querendo descredenciar os missionários. Três adjetivos podem ser destacados:

1- Piedade = Reverência para com Deus, que afeta a vida diretamente;


2- Justa = É baseada na justiça universal, mas para Paulo, se baseia na revelação de Deus e de como os homens deveriam viver;


3 – Irrepreensível = Refere-se a conduta livre de qualquer acusação, de não está a altura do padrão de justiça (5.23);


Verso 11 - Noutras palavras Paulo fala que os tratou como indivíduos, e não como “coisas” ou “auditório”. E que foi responsável assim como um pai aos seus filhos, como Pai espera que seus filhos sigam seu exemplo.

Ensinado como viver, dano-lhes conselhos apropriados, e levando-os ao nascimento espiritual;


Verso 12 - Três verbos são usados para definir as atividades exercidas pelos missionários:

1- Exortamos = É a palavra mais geral para instrução aos convertidos (3.2; 7; 4.1, 10, 18; 5.11,14). É uma apelo a viverem como cristãos verdadeiros;


2 – Consolar = O sentido de admoestação espiritual e ética. “Consolamos” ou “encorajamos”, mas o verbo aqui indica admoestação e encorajamento.


3- Admoestamos = Tem sentido de fazer uma afirmação ou exigência enfática, de prestar atenção;


“...para viverdes...” => O verbo empregado é “andar”, sentido metafórico de comportar-se. O modo do cristão deve ser digno de Deus. (CL.1.10). Deus espera que nós, seus adoradores, sejamos correspondentes ao seu Caráter;


“...reino e glória...”=> Deus chama para seu reino e glória. Deus salva o homem e inclui no seu reino, mas também o sela para sua glória (futura; 1.10)



To be Continued....


Posted on by Jesse Almeida in