14 de março de 2015

Salmo 29

Amigos, 

Tenho encontrado refrigério para alma nos Salmos, porque de maneira tão simples e profunda, através do olhar de um observador não muito preocupado em atingir um objetivo científco, relata o que vê e compara com que é!

Diz o sábio que é assim que se adquire sabedoria: observando, avaliando, discernindo, enfim, contemplando. Sobretudo pedindo a Deus, sem lançar em rosto.

Neste Salmo salta aos nossos olhos a majestade de Deus e a maravilha do evangelho. Vamos ver as pepitas ouro que contem:


vv1 - Tributar ao Senhor - é na verdade o dever em dar glória ao seu nome como os anjos e/ou "poderosos" e/ou filhos dos poderosos. Contudo, a começar com os que exercem algum tipo de poder ou liderança, devem reconhecer e render a devida reverência a Deus. É uma ordem!

vv2 - Tributai a glória devida ao seu nome - O que chama a atenção neste verso é uma sequência que podemos listar por algumas perguntas: O que fazer mediante a glória do seu nome? A gente adora! A quem? A Deus! Como? Na beleza de sua santidade, o que isso significa? É o que Jesus orienta a mulher samaritana: Não é naqule monte, ou no outro, é em espírito e em verdade. O convite de Davi aqui é adorar a Deus com a vida inteira independente de lugar, aleluia! O lugar não faz a gente, mas é o contrário, a gente faz o lugar!

vv3 - Ouve-se a voz do Senhor - Davi aprofunda a convicção e exalta a Deus, porque está acima das tempestades e calamidades. Sobretudo, que sua voz (palavra de Deus) é ouvida mesmo mediante os trovões pessoais e nacionais. Deus está acima de tudo, de todo medo e esperança!

vv4 - A voz do Senhor é poderosa - A majestade da voz é concretizada quando o evangelho é pregado! Perceba que nos versos anteriores, a natureza revela de forma contundente a existência de Deus, e de imediato nos coloca na situação ideal, de seres criado. Nos remete ao paraíso, onde herdamos de nosso representante federativo Adão, a herança do pecado. E vem a mente (Apóstolo Paulo) a lembrança de que todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus! Porque não temos condição alguma de se chegar a Deus. Pois bem, ele desce da sua glória (Salmo 24.3), se faz homem, só Deus pode perdoar pecado e extinguí-lo. Por isso veja o verso 5;

vv5 - A voz do Senhor quebra os cedros - Aqui está uma aplicação prática do poder da sua voz, ela quebra a madeira mais resistente, ela faz o trabalho que lhe é preferido, amolecer corações, transformar realidades, ressuscitar os homens, quebrantar os corações. Diante da palavra todos tem que ceder!

vv6 - Ele faz o Líbano saltar como bezerro - Imagine uma árvore saltitante, imaginou? Pois é, totalmente imprevisível e ao mesmo tempo inquietante. Onde já se viu algo que foi criado para ficar plantado, saltar? Esse é o poder inquietante do evagelho! Quando o evangelho é pregado não se pode fica inerte (aqui eu acredito em seleção natural)......rsrsrs

vv7 - Lança chamas... - Não tenho veia pentecostal, mas sufocar o espírito santo é pecado! As chamas descritas neste salmo é o poder que ela (a Palavra de Deus) por si só emana e invoca quando é anunciada. Vai ao cerne da alma humana, e traz significado da existência humana. Aqui no salmo a idéia é de esculpir, ou seja, as chamas modelam o alvo de seu calor;

vv8 - A voz do Senhor faz tremer o deserto e o deserto de cades - Davi um homem que tem um vislumbre e na qualidade de profeta-rei, faz uma afirmação dessas: Que a palavra de Deus faz "tremer". A tradução desta palavra torna o sentido mais profundo, pois quer dizer que pelo poder da palavra de Deus anunciada ela faz "torcer em giros o campo aberto". Ou seja, a palavra confunde os ímpios. E mais, o poder de sua palavra anunciada faz torcer em giros os desertos (pessoas vazias) "Cades"-Barnéia = Monte Santo, ou melhor, os religiosos. É impossível ficar inerte mediante sua palavra anunciada e proclamada, o homem tem que tomar uma decisão! 

vv9 - ...Derruba carvalhos e desnuda florestas... - A palavra proclamada tem o poder de despir o mais poderoso e arrogante, mas também os mais dóceis e puros. E todos se encontrarão no grande templo e lhe renderão glória, unanememente, mesmo de que maneira forçada. Tributai! É uma ordem! Todos irão comparecer no tribunal de Cristo.

vv10 - O Senhor está sentado... - Podemos perceber a posição de Deus em destaque especial. Ele se assenta acima do dilúvio! Lembra de outro evento como esse? Esse evento é encontrado apenas uma única vez nas escrituras e de dimensão global. Davi dá essa singuralidade a Deus, porque ele é o único! Digno de receber glória, não porque usa de instrumentos brutos para mostrar seu poder com trovões e raios, mas único em usar seus instrumentos de julgamento. Sim, ele irá julgar e o critério é Cristo. Quem suportará esse dia? Somente aquele que reconhece que sua vida não agrada a Deus e precisa de um advogado, Jesus Cristo! Que Ele nos livre da ira de Deus!

vv11 - O Senhor abençoe seu povo com paz - Imagine um dilúvio, muita água! Passado esse evento, Deus lhe promete com um sinal que a terra não passará mais por isso! Qual seria sua reação? Sentir-se em paz, esse é o sentido. Davi nos diz que dará força ao seu povo para passar por esses momentos de dilúvio moral, existencial, social, neurológico, instintivo, devocional, familiar, em dias de distúrbios emocionais... Quero lembrá-lo: " Eis que Estou convosco até a consumação dos séculos". 


Implicações Práticas

1 - O Senhor tem todo controle nas mãos! Mesmo que nada esteja acontecendo na vida;
2 - Ele sabe melhor do que eu, qual será meu fim, por isso me entrego, convicto!;
3 - Quero estar aberto a sua palavra, porque é vida e proteção para minha alma;
4 - Todos sem exceção irão comparecer ao tribunal de Cristo, isso me torna responsável com a vida;
5 - Preciso entregar as áreas mais frágeis de meu ser a Deus, porque por sua palavra sempre irá despir;
6 - Jesus Cristo é o meu advogado quando a ira de Deus se acender, tenho certeza que estarei seguro;
7 - Nele encontro a paz que vai além desta dimensão!

Soli Deo Glória!
Jesse Almeida.